segunda-feira, 16 de maio de 2011

Refeita



Tentei não chorar nem sofrer,
Inventei uma felicidade, por piedade.
Encobri a verdade.
Mas o aperto doído no peito,
Trazia-me de volta à dor.
Dor cruel e desesperadora,
Devastadora... Quase fatal.
Agarrei-me às últimas forças,
Sequei o meu pranto,
E me refiz.
Voltou minha paz,
Agora, com você... Feliz!!!


Gizelle Amorim

3 comentários:

  1. Adorei a poesia...
    Uma poesia relacionado ao meu passado.. mas com o meu presente e futuro com força total. A inspiraçãon foi perfeita. Obrigada pela força que vc tem me dado dia após dia. Muito legal msm. Te adoro amiga e obrigada por tudo msm.

    ResponderExcluir
  2. Nada melhor que o tempo, realmente, para curar o coração. As vezes o óbvio está na nossa frente e não enxergamos. :)

    ResponderExcluir